jusbrasil.com.br
6 de Dezembro de 2016
    Adicione tópicos

    TRF-1 - APELAÇÃO CIVEL : AC 34959 MG 2003.01.99.034959-5

    PREVIDENCIÁRIO - APOSENTADORIA POR INVALIDEZ - TRABALHADOR RURAL -INÍCIO DE PROVA MATERIAL - CERTIDÃO DE CASAMENTO - CERTIFICADO DE CADASTRO DE IMÓVEL RURAL JUNTO AO INCRA - PROFISSÃO - SOLUÇÃO "PRO MISERO" - INCAPACIDADE RECONHECIDA PELO INSS - HONORÁRIOS ADVOCATÍCIOS - FIXAÇÃO.

    Processo
    AC 34959 MG 2003.01.99.034959-5
    Orgão Julgador
    PRIMEIRA TURMA
    Publicação
    10/02/2004 DJ p.35
    Julgamento
    16 de Dezembro de 2003
    Relator
    DESEMBARGADOR FEDERAL JOSÉ AMILCAR MACHADO
    Andamento do Processo

    Ementa

    PREVIDENCIÁRIO - APOSENTADORIA POR INVALIDEZ - TRABALHADOR RURAL -INÍCIO DE PROVA MATERIAL - CERTIDÃO DE CASAMENTO - CERTIFICADO DE CADASTRO DE IMÓVEL RURAL JUNTO AO INCRA - PROFISSÃO - SOLUÇÃO "PRO MISERO" - INCAPACIDADE RECONHECIDA PELO INSS - HONORÁRIOS ADVOCATÍCIOS - FIXAÇÃO.

    1. Comprovada a qualidade de trabalhadora rural por prova testemunhal e início razoável de prova material, e a invalidez permanente para o trabalho, deve ser deferido o benefício de aposentadoria por invalidez à suplicante.

    2. A qualificação profissional como lavrador, agricultor ou rurícola, constante de assentamentos de registro civil constitui início de prova material para fins de averbação de tempo de serviço e de aposentadoria previdenciária, e é extensível à esposa, adotando, nessa hipótese, a solução pro misero. Precedentes do Superior Tribunal de Justiça (REsp nº 272.365/SP e AR nº 719/SP) e desta Corte.(EIAC 1999.01.00.089861-6-DF)

    3. "Não é admissível a prova exclusivamente testemunhal para reconhecimento de tempo de exercício de atividade urbana e rural (Lei nº 8.213/91, art. 55, § 3º)". Tribunal Regional Federal da 1ª Região, Súmula nº 27.

    4. Honorários advocatícios fixados em 10%, conforme jurisprudência pacificada nesta Corte.

    5. Apelação e remessa oficial às quais se dá parcial provimento. PREVIDENCIÁRIO - APOSENTADORIA POR INVALIDEZ - TRABALHADOR RURAL -INÍCIO DE PROVA MATERIAL - CERTIDÃO DE CASAMENTO - CERTIFICADO DE CADASTRO DE IMÓVEL RURAL JUNTO AO INCRA - PROFISSÃO - SOLUÇÃO "PRO MISERO" - INCAPACIDADE RECONHECIDA PELO INSS - HONORÁRIOS ADVOCATÍCIOS - FIXAÇÃO. 1. Comprovada a qualidade de trabalhadora rural por prova testemunhal e início razoável de prova material, e a invalidez permanente para o trabalho, deve ser deferido o benefício de aposentadoria por invalidez à suplicante. 2. A qualificação profissional como lavrador, agricultor ou rurícola, constante de assentamentos de registro civil constitui início de prova material para fins de averbação de tempo de serviço e de aposentadoria previdenciária, e é extensível à esposa, adotando, nessa hipótese, a solução pro misero. Precedentes do Superior Tribunal de Justiça (REsp nº 272.365/SP e AR nº 719/SP) e desta Corte. 3.(EIAC 1999.01.00.089861-6-DF) "Não é admissível a prova exclusivamente testemunhal para reconhecimento de tempo de exercício de atividade urbana e rural". T (Lei nº 8.213/91, art. 55, § 3º) ribunal Regional Federal da 1ª Região, Súmula nº 27. 4. Honorários advocatícios fixados em 10%, conforme jurisprudência pacificada nesta Corte. 5. Apelação e remessa oficial às quais se dá parcial provimento. (AC 2003.01.99.034959-5/MG, Rel. Desembargador Federal José Amilcar Machado, Primeira Turma,DJ p.35 de 10/02/2004)

    Veja essa decisão na íntegra
    É gratuito. Basta se cadastrar.
    Disponível em: http://trf-1.jusbrasil.com.br/jurisprudencia/2276600/apelacao-civel-ac-34959-mg-20030199034959-5

    0 Comentários

    Faça um comentário construtivo para esse documento.

    Não use muitas letras maiúsculas, isso denota "GRITAR" ;)