jusbrasil.com.br
19 de Novembro de 2017
    Adicione tópicos

    Tribunal Regional Federal da 1ª Região TRF-1 - APELAÇÃO CIVEL : AC 22607 MG 95.01.22607-7

    AÇÃO CAUTELAR - EMPRESA QUE PRESTA SERVIÇO DE VIGIA E PORTEIRO - PRETENSÃO DE NÃO SUBMETER-SE À PORTARIA Nº 601/86 DO MINISTÉRIO DA JUSTIÇA - PLAUSIBILIDADE - RECEIO DE GRAVE LESÃO - OCORRÊNCIA.

    Processo
    AC 22607 MG 95.01.22607-7
    Orgão Julgador
    TERCEIRA TURMA SUPLEMENTAR
    Publicação
    13/06/2002 DJ p.346
    Julgamento
    3 de Outubro de 2001
    Relator
    JUIZ EVANDRO REIMÃO DOS REIS (CONV.)

    Ementa

    AÇÃO CAUTELAR - EMPRESA QUE PRESTA SERVIÇO DE VIGIA E PORTEIRO - PRETENSÃO DE NÃO SUBMETER-SE À PORTARIA Nº 601/86 DO MINISTÉRIO DA JUSTIÇA - PLAUSIBILIDADE - RECEIO DE GRAVE LESÃO - OCORRÊNCIA.

    1. É plausível o argumento de empresa que presta serviço de vigia de não submeter-se à Portaria nº 601/86, do Ministério da Justiça, por não desempenhar atividade de vigilância armada, caracterizadora do fumus boni iuris.

    2. Revela periculum in mora o receio de interrupção do serviço pela inobservância da norma hostilizada.

    3. Apelação e remessa desprovidas.

    Veja essa decisão na íntegra
    É gratuito. Basta se cadastrar.