jusbrasil.com.br
11 de Agosto de 2022
  • 2º Grau
Entre no Jusbrasil para imprimir o conteúdo do Jusbrasil

Acesse: https://www.jusbrasil.com.br/cadastro

Detalhes da Jurisprudência

Processo

Órgão Julgador

PRIMEIRA TURMA

Publicação

Julgamento

Relator

DESEMBARGADOR FEDERAL CARLOS AUGUSTO PIRES BRANDÃO

Documentos anexos

Relatório e VotoTRF-1_AI_00560124420154010000_ac697.doc
EmentaTRF-1_AI_00560124420154010000_3be7e.doc
Entre no Jusbrasil para imprimir o conteúdo do Jusbrasil

Acesse: https://www.jusbrasil.com.br/cadastro

Ementa

(Æ1HZ1Ä100)

PODER JUDICIÁRIO

TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL DA PRIMEIRA REGIÃO

AGRAVO DE INSTRUMENTO N. XXXXX-44.2015.4.01.0000/DF

PODER JUDICIÁRIO

TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL DA PRIMEIRA REGIÃO

AGRAVO DE INSTRUMENTO N. XXXXX-44.2015.4.01.0000/DF

RELATOR

:

DESEMBARGADOR FEDERAL CARLOS AUGUSTO PIRES BRANDÃO

AGRAVANTE

:

JULIANA MONGON PETRONI

ADVOGADO

:

RAPHAEL PEREIRA LESSA

ADVOGADO

:

FABIANNA FERNANDES DE FIGUEIREDO DA FONS

AGRAVADO

:

AGENCIA NACIONAL DE AVIACAO CIVIL - ANAC

PROCURADOR

:

ADRIANA MAIA VENTURINI

EMENTA

AGRAVO DE INSTRUMENTO. ADMINISTRATIVO. SERVIDOR. CONCURSO PÚBLICO. INDÍCIOS DE FRAUDE. COINCIDÊNCIA DE RESPOSTAS. LAUDO PERICIAL. POSSIBILIDADE DE FRAUDE. ANULAÇÃO DA NOMEAÇÃO. AUSÊNCIA DE FUNDAMENTAÇÃO DO ATO. INOCORRÊNCIA.

1. No caso concreto, a Agravada teve anulada sua nomeação para cargo público, por ter restado apurada, por meio de inquérito da Polícia Federal, dentre outros elementos, também a coincidência entre suas respostas às questões da prova e as de outros candidatos, de suas relações pessoais, suspeitos de envolvimento em fraudes a concursos anteriores.

2. Não há falar em ausência de suficiente fundamentação da anulação de nomeação de servidor aprovado em concurso público, se o ato decorre de apuração em inquérito, onde a Polícia Federal concluiu, dentre outras constatações, pela coincidência das respostas da então candidata e as de alguns concorrentes suspeitos de envolvimento em fraude ao certame.

3. Afigura-se temerária a suspensão dos efeitos do ato de anulação da nomeação de candidato a cargo público, num contexto onde os elementos que instruem a pretensão recursal – apuração levada a efeito pela Polícia Federal, com laudos periciais concluindo, de modo justificado, pela ocorrência de fraude.

4. Agravo de Instrumento a que se nega provimento.

ACÓRDÃO

Decide a Turma, por unanimidade, negar provimento ao agravo de instrumento, nos termos do voto do Relator.

Primeira Turma do TRF da 1ª Região, 13 de abril de 2016.

DESEMBARGADOR FEDERAL CARLOS AUGUSTO PIRES BRANDÃO

RELATOR

Disponível em: https://trf-1.jusbrasil.com.br/jurisprudencia/897971579/agravo-de-instrumento-ag-ai-560124420154010000/ementa-897971587

Informações relacionadas

Tribunal de Justiça de Minas Gerais
Jurisprudênciahá 9 anos

Tribunal de Justiça de Minas Gerais TJ-MG - Apelação Cível: AC XXXXX-67.2011.8.13.0352 MG

Tribunal Regional Federal da 2ª Região
Jurisprudênciahá 11 anos

Tribunal Regional Federal da 2ª Região TRF-2 - APELRE - APELAÇÃO/REEXAME NECESSÁRIO -: REEX XXXXX51010024040

Superior Tribunal de Justiça
Jurisprudênciahá 11 anos

Superior Tribunal de Justiça STJ - AGRAVO REGIMENTAL NO RECURSO ESPECIAL: AgRg no REsp XXXXX SC 2011/XXXXX-9

Tribunal Regional Federal da 1ª Região
Jurisprudênciahá 25 anos

Tribunal Regional Federal da 1ª Região TRF-1 - APELAÇÃO EM MANDADO DE SEGURANÇA: AMS 30191 MA 94.01.30191-3

Supremo Tribunal Federal
Jurisprudênciahá 40 anos

Supremo Tribunal Federal STF - RECURSO EXTRAORDINÁRIO: RE 94288 RJ